quinta-feira, 20 de agosto de 2009

SAMU - a novela continua

Durante quase três anos trabalhei no SAMU de Blumenau e durante esse tempo acompanhei todas as proezas e dificuldades desta instituição. Fiz grandes amigos, um deles é o Dr. Leonardo Motta F. Ferreira que me enviou o seguinte email:

"A/C Sr Odair,

Segundo nosso contato por telefone hoje, estou enviando NOVAMENTE (deve ser a décima vez) os recebimentos que tive sobre as RPAs de meu trabalho no SAMU. Sinceramente isso já esta cansativo.
Quantas vezes tenho de implorar para ser pago ??? EU que tenho que descobrir para onde foi enviado esse dinheiro ???? EU é que tenho de fazer o trabalho da secretaria ?? (não sei qual, pois a saúde diz ser culpa e responsabilidade da desenvolvimento ou da financeira, e fica o conhecido "jogo de empurra" de um lado para outro). Já estou cansado mesmo de ser feito de tolo, ser chamado de idiota por telefone e de passar HORAS (mais de 26 horas segunda minha conta telefônica) no telefone com Florianópolis para que me paguem o que é devido. Segundo as conta abaixo, o Estado me deve R$3126,00. Para conseguir ser pago, alem do tempo e desaforos diversos já tive um gasto que passa de R$ 100,00.



PS: Em copia para o Sr. Joel e a Sra. Carla F autorizo publicação de minhas queixas e informações bancárias em quaisquer meios de comunicação que julgarem de direito. Depois passo para vocês os detalhes com nomes, datas e respostas tanto verbais como por escrito do Estado e seus representantes. Assim como as informações que os tinha prometido."

Amigos leitores, este tipo de novela já se estende há mais de três anos. Muitos bons profissionais pediram exoneração por causa deste tipo de situação. Será esta a política do governo do estado para com seus colaboradores?

3 comentários:

Anônimo disse...

tá explicado pq o samu atende tão "bem"

Adriano disse...

Pelo atendimento a população ganahm d+

Joel S. Candido da Silva disse...

Calma aí pessoal, o negócio é o seguinte, se o colaborador trabalha, ele tem o direito de receber. Se não estiver cumprindo com as suas obrigações, é dever do superior cobrar. Portanto, se a coisa não está sendo bem feita que cobremos dos governantes que são quem direcionam as atividades. Esse negócio dos superiores dizerem que "não sabia o que estava acontecendo", é conversa pra bobo. Temos o grande exemplo do secretario de estado da saúde, que não sabia que as ambulâncias estavam com o documento atrasado e não sabia que os médicos do hospital público batiam cartão e não trabalhavam. Será que não sabia? Se for verdade, está mal assessorado e deve demitir quem o assessora.